domingo, 3 de agosto de 2014

Festa de Agosto | Tradição que nasceu na fé de um povo I

Os tempos de glória da maior festa de toda a história de Ribeirão Bonito 

Marcel Rofeal, da Redação 

Fotos: Arquivos de 1942 e 1927
Começa nesta quarta-feira (6) a edição 2014 da Festa de Agosto, evento religioso promovido pela Paróquia do Senhor Bom Jesus da Cana Verde em Louvor ao Padroeiro de Ribeirão Bonito. Tradição na cidade, a festa é realizada há cerca de um século e teve origem na fé da Família Alves Costa, que doou as terras para a construção de uma capela onde, hoje, está a Igreja Matriz. Para recordar esta história, o BMR apresenta uma série de três reportagens a partir deste domingo (3).

O início da Festa de Agosto nos leva a viajar ao passado, mais precisamente ao fim do século XIX. A doação de 15 alqueires de terras da Família Alves Costa em 1862 para a construção de uma capela ao Senhor Bom Jesus foi uma promessa de Joaquim Alves Costa, que, segundo a tradição, teria se acidentado e pediu a intercessão do santo em sua recuperação, que veio pouco depois. No dia 2 de março de 1872, sob os cuidados de João Leite de Arruda, a capela enfim foi construída.

A vinda dos imigrantes italianos e o impulso da cafeicultura trouxeram o progresso ao então distrito de Brotas, que culminou em seu desmembramento no dia 5 de março de 1890. Os moradores da Vila passaram a guardar o dia 6 de agosto como Dia Santo e a promover anualmente as festividades em louvor ao Bom Jesus, nessa época. Com a renda dos eventos, a capela foi demolida em 1892 para dar espaço a um templo amplo, a atual Igreja Matriz, que foi concluída em setembro de 1907.

De acordo com o histórico da Festa de Agosto, o evento era um dos mais aguardados da região e se destacava por conservar suas raízes e apresentar atrações próprias das origens de seus moradores, de sua própria cultura e de suas atividades econômicas. As barracas típicas de cada região do país e do exterior, além de barracas comerciais com produtos do próprio município, ocupavam boa parte da Rua São Paulo, a principal via do Centro, e atraíam milhares de pessoas.

Na Praça da Matriz, com o passar dos anos, mas ainda no século XX, alto-falantes nos quatro cantos funcionavam como rádio comunitária e, durante as quermesses, transmitiam recados e músicas entre os participantes da festa, principalmente canções oferecidas aos namorados por seus pares. Cada fim de semana trazia algo novo, que era preparado por cada comunidade, como danças e eventos típicos. A criação da Corporação Musical Primeiro de Maio também ajudou.

Quando surgiu, a Banda passou a promover anualmente, no dia 6 de agosto, a Alvorada Festiva em homenagem ao Bom Jesus, o que se consolidou no calendário do evento e é tradição até hoje, além de se apresentar no coreto durante as noites de festa. Já nas quermesses, até mesmo automóveis já foram oferecidos como prêmios, uma vez que a cidade abrigava diversas concessionárias. Com o passar dos anos, as atrações mudaram. Um exemplo é a presença do parque de diversões.

Um dos fatores apontados por terem contribuído para o enfraquecimento da Festa de Agosto foi o fechamento da Estação Ferroviária da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, o que provocou déficit econômico e consequente redução demográfica no município. Aos poucos, a partir de então, o evento foi perdendo suas características originais e grandiosidade, mas ainda figura-se como a principal festa de Ribeirão Bonito. Nesta segunda-feira (4), veremos como é a festa na atualidade.

Um comentário:

BLOG MAIS TUR disse...

PARABÉNS MARCEL!
POR RESGATAR A HISTÓRIA QUE MUITOS NA NOSSA CIDADE NÃO CONHECE POR SER JOVENS DE MAIS OU POR TEREM VINDOS DE OUTRAS REGIÕES MUITO BONITO O TRABALHO