Festa de Agosto | Tradição que nasceu na fé de um povo II

Declínio e tragédia: as mudanças de rumo da festa em Ribeirão Bonito 

Marcel Rofeal, da Redação 

Fotos: Blog do Ronco e BMR
O BMR segue nesta segunda-feira (4) a série especial de três reportagens sobre a história da Festa de Agosto de Ribeirão Bonito, evento religioso promovido pela Paróquia Senhor Bom Jesus da Cana Verde em louvor ao Padroeiro do Município. Neste domingo (3), recordamos o início e os tempos de glória da mais antiga e tradicional festa da cidade. Hoje, recordaremos o período de declínio e o episódio trágico que mudou totalmente as características do evento.

Com a união das praças Nove de Julho e Matriz, em decorrência do fechamento da Rua João Alves Delfino há mais de 50 anos, a estrutura da Festa de Agosto também mudou. A barraca de quermesse passou a ocupar um espaço no calçadão e a Praça da Matriz era tomada por barracas e pelos brinquedos do parque de diversões, mas aos poucos o número de atrações diminuiu e a participação popular seguiu o mesmo caminho. A ânsia regional praticamente desapareceu.

A fase de declínio da Festa de Agosto ganhou um episódio ainda mais trágico no início dos anos 2000 que, como em todas as situações negativas, mostrou seu lado positivo. Uma explosão em botijões de gás na cozinha da barraca provocou um incêndio que destruiu toda a estrutura montada para as quermesses. Houve correria e todas as atividades foram suspensas imediatamente para o controle das chamas, que se alastraram com rapidez. A tragédia, no entanto, reuniu a comunidade.

Nunca, até então, havia acontecido, na história da cidade, uma união de esforços como a que se viu para debelar o fogo que consumiu a barraca. Fiéis de todas as religiões e até mesmo quem nada tinha a ver com o evento, que simplesmente passava pelo local, ajudou no combate às chamas. A campanha iniciada logo em seguida, em busca de recursos e materiais para recomeçar o evento, também foi inédita e, em uma semana, tudo estava pronto para ser retomado.

De acordo o padre João Francisco Trovilho Morales, pároco responsável pelo evento, o incêndio fez com que a comunidade ribeirão-bonitense se unisse ainda mais para dar vida novamente à Festa de Agosto. Mas a destruição da barraca trouxe consequências e prejuízos incalculáveis. As exigências de segurança do Corpo de Bombeiros levaram a Paróquia a construir uma cozinha industrial junto à estrutura da Igreja Matriz e a barraca foi transferida para a parte de cima da Praça da Matriz.

Em poucos anos, o cenário mudou completamente. As normas de segurança também motivaram o conselho da Paróquia a optar por uma estrutura permanente para a Festa de Agosto. A barraca fixa não agradou grande parte dos fiéis e de populares em geral, tornou-se polêmica e alvo de discussões. No entanto, o espaço amplo e mais seguro passou a ser usado em outras ocasiões, sempre com um grande número de pessoas, mas novas exigências de segurança foram feitas. 

Falta de segurança com o parque de diversões também trouxe dor de cabeça para a organização do evento, que teve uma de suas principais atrações ameaçada na última edição e que, este ano, quase não veio. Para a reportagem desta terça-feira (5), um dia antes do início da edição 2014 da Festa de Agosto, o BMR vai falar sobre os desafios do evento neste ano e as novas exigências do Corpo de Bombeiros que fizeram com que a festa em 2014 já tenha início com dívidas.
Festa de Agosto | Tradição que nasceu na fé de um povo II Festa de Agosto | Tradição que nasceu na fé de um povo II Reviewed by Marcel Rofeal on 19:15 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.