segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Menores vândalos depredam EMEI no Jardim Centenário

Entre os três envolvidos está um garoto de apenas oito anos de idade 

Marcel Rofeal, de Ribeirão Bonito 

Foto: Marcel Rofeal/BMR
A Escola Municipal de Educação Infantil “EMEI Maria Morganti”, no Jardim Centenário, foi invadida na tarde deste domingo (24) em Ribeirão Bonito. Vândalos reviraram os materiais e depredaram várias instalações. Segundo testemunhas, um trio formado por menores de 13, 12 e 8 anos de idade teria sido o responsável pela balbúrdia. De acordo com o prefeito Wilson Forte Júnior (PMDB), a unidade só não foi incendiada porque os garotos não encontraram os fósforos.

Nas salas de aula, livros, brinquedos, roupas e materiais didáticos foram revirados. Colchões usados em atividades com as crianças também foram usados pelos invasores, que tiveram acesso à parte interna da escola por janelas. Vários litros de álcool foram esvaziados em pelo menos três salas. Na cozinha e no berçário, os vândalos jogaram ovos. Muita terra também foi jogada pelos corredores. Condicionadores de cabelo, usados pelos estudantes, foram espalhados sobre as mesas.

De acordo com a diretora da escola, Patrícia Falconi Perissinoto, a invasão ocorreu no meio da tarde e ela só tomou conhecimento através da Polícia Militar, que a avisou por volta das 16h30. Além dela, foram ao local a diretora do Departamento Municipal de Educação, Maria Terezinha Sartorelli Manieri, a primeira-dama Heloísa Guedes Torrezan Forte e o prefeito Nenê Forte. “A sorte foi que eles não encontraram os fósforos, senão teriam ateado fogo na escola”, disse o chefe do Executivo.

Segundo o Departamento de Educação, as aulas na unidade devem ser retomadas parcialmente nesta segunda-feira (25) para que os funcionários possam trabalhar na limpeza e reorganização das salas depredadas. De acordo com informações, testemunhas afirmaram que um trio de menores teria invadido a escola, sendo adolescentes de 12 e 13 anos e uma criança de apenas 8 anos. “A gente se pergunta aonde estão os pais destas crianças nessas horas”, desabafa Terezinha.

Nenhum comentário: