sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Inaugurada em Ribeirão Bonito Usina de Reciclagem de Lixo

Primeira da região, unidade prevê geração de ao mínimo 15 empregos 

Marcel Rofeal, de Ribeirão Bonito 

Fotos: Marcel Rofeal/BMR
Autoridades políticas do município e da região, funcionários públicos e estudantes participaram na manhã desta sexta-feira (12) da cerimônia de inauguração da Usina de Triagem de Resíduos Sólidos de Ribeirão Bonito. O empreendimento contou com um investimento de aproximadamente R$ 512 mil para sua construção e o custo de implantação total da unidade deve ser superior a R$ 524 mil neste primeiro ano. Pelo menos sete empregos foram gerados nesta primeira etapa.

O prefeito Wilson Forte Júnior (PMDB) destacou que a construção da usina, a primeira da região, é o cumprimento à lei 12.305, do dia 2 de agosto de 2010, a qual instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos e determinou que os municípios se adequassem à legislação em até quatro anos, prazo que chegou ao fim no último dia 2 de agosto. Segundo dados oficiais, cerca de 60% dos municípios não possuem aterros e 3,3 mil depositam o lixo em terrenos sem tratamento.

Em Ribeirão Bonito, além de cumprir a determinação da nova legislação, a Prefeitura também sanou um problema que vinha se arrastando ao longo de décadas. A capacidade de receber o lixo diário do município se esgotaria em dezembro, segundo o prefeito Nenê, e órgãos fiscalizadores como Cetesb - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental - e o Departamento Estadual de Proteção dos Recursos Naturais (DEPRN) já ameaçavam aplicar uma multa diária ao município.

Segundo o prefeito, houve uma tomada de medidas para cortar gastos da administração e recursos previstos em orçamento foram realocados. Foi aberto o processo licitatório e a empresa EAC Vidas acabou contratada para prestar os serviços. Há pelo menos 80 dias o aterro sanitário de Ribeirão Bonito foi entregue aos cuidados da empresa, que só nos últimos 60 dias passou a retirar em torno de 10 toneladas por semana de materiais recicláveis do aterro sanitário local.

De acordo com o gerente operacional da usina, Marcelo Neivas, houve todo um cuidado para que a unidade fosse a mais adequada às necessidades do município e para atender à legislação. Foram utilizados materiais reaproveitados na confecção das estruturas. O sistema de captação de águas pluviais foi estudado para que parte da água seja reutilizada e a sobra seja designada para fora do aterro e evitar o chorume, um líquido poluente que pode contaminar a água subterrânea.

Ainda segundo Neivas, serão instalados ecopontos para o descarte dos materiais em toda a cidade, principalmente em unidades de saúde e escolas. Já o diretor da EAC Vidas, Éder Antônio Custódio, afirma que a unidade receberá em torno de 12 toneladas de resíduos diariamente, mas a triagem dos materiais recicláveis no local não influenciará na coleta que alguns moradores promovem na cidade. Após a triagem, os resíduos serão destinados a outra unidade no município de Guatapará.

Um grupo de 25 alunos da Escola Municipal Prof.ª Lélia Cecília Torrezan Galdino Lucato participaram do evento e efetuaram o plantio de 60 mudas de árvores nativas e frutíferas no local. Segundo Maria Lucy de Bodas, diretora de Agronomia da Prefeitura, é apenas uma amostra do projeto que prevê a recuperação da área do aterro, a qual possui em torno de 25% de reserva ambiental, e que contará com o plantio de mais 4 mil mudas pelo terreno.

Pioneira na região, a Usina de Triagem de Resíduos Sólidos de Ribeirão Bonito chamou a atenção de municípios vizinhos, como São Carlos, que enviou representantes do prefeito Paulo Altomani (PSDB) à cerimônia, e Trabiju, o qual foi representado pelo prefeito Fabricio Donizetti Vanzelli (DEM). Além deles, participaram do evento os vereadores José Sebastião Baldan (PMDB), Marcelo Antonio Lollato (PMDB) e Regivaldo Rodrigues da Silva (PSDB), e o padre João Francisco Morales.

Recursos - Durante sua fala, o prefeito Nenê Forte destacou que só no primeiro ano de sua gestão houve o pagamento de R$ 464 mil em precatórios referentes à desapropriação de dois hectares de terras para o aterro sanitário de Ribeirão Bonito. Ainda segundo ele, a Prefeitura pretende investir em torno de R$ 410 mil na usina a partir do próximo ano, o que já está em estudos para ser incluído no projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício financeiro de 2015.

Um comentário:

Laurilia Veiga Hansen disse...

Parabéns Prefeito. Medidas como essa deveriam ser copiadas. Demonstra espírito de cidadania e a preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade.