terça-feira, 6 de outubro de 2015

Gestão Pública é considerada efetiva em Ribeirão Bonito

Tribunal de Contas Estadual divulgou dados sobre municípios paulistas 

Marcel Rofeal, da Redação 

Foto: Arquivo/BMR
A Prefeitura de Ribeirão Bonito foi qualificada como efetiva pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), com base no relatório do Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEGM 2015). O indicador busca avaliar a efetividade das políticas e atividades públicas desenvolvidas pelos gestores das 644 prefeituras paulistas. O Município foi considerado de baixo nível de adequação em três de sete itens, como Proteção ao Meio Ambiente, Cidadãos e TI.

Segundo o TCE, o IEGM tem por objetivo verificar se a visão e objetivos estratégicos dos municípios foram alcançados de forma efetiva e, com isso, oferecer elementos importantes para auxiliar e subsidiar a ação fiscalizatória exercida pelo controle externo. Sete índices são analisados com foco na análise da infraestrutura e dos processos nos municípios, sendo: Educação, Saúde, Planejamento, Gestão Fiscal, Proteção ao Meio Ambiente, Cidadãos e Tecnologia da Informação.

Os resultados são classificados em cinco faixas: altamente efetiva (A); muito efetiva (B+); efetiva (B); em fase de adequação (C+); e baixo nível de adequação (C). Em Ribeirão Bonito, as áreas com melhor desempenho são Saúde e Planejamento, receberam nota B+. Logo em seguida aparecem Educação, com nota B, e Gestão Fiscal, classificada com nota C+. Proteção ao Meio Ambiente, Cidadãos e Tecnologia da Informação ficaram com o menor nível de qualificação.

De acordo com o TCE, os dados foram coletados no início do ano junto às próprias prefeituras por meio de questionários elaborados pela Divisão Audesp (Auditoria Eletrônica do Estado de São Paulo). No total, as prefeituras responderam a 154 questionamentos relativos às sete áreas analisadas. As informações foram checadas por amostragem, a partir de março, pelas equipes das Diretorias de Fiscalização do Tribunal de Contas. Nenhum Município teve média A.

Clique aqui e confira o relatório completo do Tribunal de Contas.

Nenhum comentário: