segunda-feira, 4 de julho de 2016

Cargos em comissão devem ser exonerados pelo Executivo

Em nota, assessoria da Prefeitura não confirma e nem nega informação 

Marcel Rofeal, de Ribeirão Bonito 

Foto: Arquivo/BMR
Após inúmeras críticas de vereadores, autoridades religiosas e lideranças, além da própria população, a Prefeitura de Ribeirão Bonito deve exonerar funções em comissão. Segundo informações obtidas pela reportagem do BMR junto a fontes da própria administração, o primeiro exonerado foi o diretor do Departamento de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Agricultura e Abastecimento. Em nota, a assessoria do Executivo não confirma e nem nega as informações.

Nomeado pelo prefeito Wilson Forte Júnior (PMDB), Eduardo Mamoru Tiba assumiu a pasta em 2014 e teria sido exonerado em março. Para a função, que conta com um orçamento de aproximadamente R$ 50 mil para Gestão Ambiental e Agricultura, Tiba recebia cerca de R$ 3,5 mil de remuneração. Com a exoneração, o Município deve economizar quase R$ 32 mil. Também vaga há dois anos, a pasta de Administração deve gerar uma economia de até R$ 100 mil ao fim do ano.

Procurada, a Prefeitura de Ribeirão Bonito não comentou a exoneração, mas disse que “se pauta pela Lei de Responsabilidade Fiscal” e afirmou que “todas as medidas necessárias ao equilíbrio financeiro serão tomadas, resguardando o andamento dos serviços prestados à comunidade e às prerrogativas constitucionais do gestor”. Atualmente, são 21 os cargos de confiança no quadro do Executivo, dez deles com salários de R$ 3,55 mil. Ao menos duas pastas estariam vagas.

Nenhum comentário: