domingo, 12 de março de 2017

Incêndios voltam a prejudicar moradores em Ribeirão Bonito

Relatos de testemunhas indicam que chamas tiveram origem criminosa 

Marcel Rofeal, de Ribeirão Bonito 

Foto: Marcel Rofeal/BMR
Sol forte, vegetação seca e irresponsabilidade humana. Os três fatores foram fundamentais para mais um incêndio de proporções consideráveis que atingiu uma área de pastagem no Jardim Boa Vista, em Ribeirão Bonito, na tarde desta sexta-feira (10). A fumaça pode ser vista de vários pontos da cidade e prejudicou a qualidade do ar aos moradores que vivem nas imediações da área atingida. O caminhão-pipa da Prefeitura esteve no local para combater as chamas.

As queixas de moradores sobre os constantes incêndios na região são frequentes e antigas. O espaço atingido pelas chamas também é sempre o mesmo e a origem do incêndio, em sua maioria, também é criminosa. Segundo relatos de moradores, diariamente há focos de incêndio na área em que deveria ter sido construída a Barragem “Engenheiro Archimedes Contin Júnior”, situada à Rua Joaquim Gomes Beato que liga o Centro ao conjunto habitacional Victor Arnaldo Torrezan.

Testemunhas ainda afirmam ter visto quem foi o responsável pelo crime, mas, até o momento, nenhum suspeito foi identificado. Nesta sexta, o fogo começou por volta das 14h e se alastrou rapidamente. Um morador vizinho observou a direção das chamas e rapidamente buscou uma mangueira para evitar que o incêndio atingisse quiosques instalados pela Prefeitura no local. Em questão de minutos, funcionários e o caminhão-pipa da administração também chegaram ao local.

Nas últimas semanas, a Prefeitura de Ribeirão Bonito recebeu dezenas de chamadas para controlar incêndios, principalmente na região de bairros conhecida por Malvinas, e geralmente as ocorrências são atendidas de pronto, conforme orientação do prefeito Francisco José Campaner (PSDB). No ano passado, um incêndio na mesma área tomou grandes proporções e foi controlado após seis horas em função de dificuldades no acesso do caminhão-pipa ao local das chamas.

Nenhum comentário: