quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Comissão conclui relatório e CEI pode ser instaurada na 2ª

Segundo parlamentares, há fortes indícios de irregularidades em obra 

Marcel Rofeal, de Ribeirão Bonito 

Fotos: Marcel Rofeal/BMR
Os trabalhos da Comissão de Assuntos Relevantes aberta pela Câmara Municipal em abril para apurar denúncias relativas à construção de uma escola no Jardim Centenário foram concluídos e o relatório deve ser apresentado na próxima segunda-feira (20) em Ribeirão Bonito. De acordo com o presidente da comissão, Manoelito da Silva Gomes (DEM), há fortes indícios de irregularidades e uma nova comissão pode ser instaurada na próxima reunião dos parlamentares.

As investigações tiveram início com base em denúncias anônimas apresentadas em janeiro durante reunião do Conselho Comunitário de Segurança de Ribeirão Bonito. De acordo com o Conseg, com o conteúdo indica problemas estruturais, como reboco em queda, calhas amassadas, esgoto sem saída por gravidade, e condutores de água sem braçadeira e fora de prumo. O texto aponta ainda que a escola foi construída em um buraco, sobre um tanque de água e que já precisa de reforma.

Diante das denúncias, uma audiência pública foi promovida na Câmara em 10 de fevereiro e contou com a presença de cerca de 30 pessoas. Após esclarecimentos técnicos do Departamento de Obras e Serviços Públicos quanto à estrutura e sobre o cronograma da obra, um grupo de moradores voltou a se reunir na manhã seguinte para uma visita ao prédio. Com representantes do Executivo e da imprensa, o grupo percorreu todas as dependências da futura unidade de ensino fundamental.

Na Câmara, mesmo com a informação de que as denúncias seriam infundadas, o vereador Manoelito da Silva Gomes (DEM) propôs a abertura de uma comissão para averiguar a situação das obras e a CAR foi aprovada por unanimidade. Documentos foram solicitados ao Executivo e encaminhados aos parlamentares membros da comissão – além do presidente Manoelito, participam dos trabalhos José Sebastião Baldan (PMDB) e Joseilton de Jesus (PSDB).

Segundo Gomes, na abertura da CAR, “ninguém aqui está dizendo, muito menos eu, que há irregularidades. Montou a comissão, não houve irregularidades? Parabéns, fez obrigação. O dinheiro é público”. Quatro meses depois, na prorrogação das investigações, voltou à tribuna e declarou que “se tiver alguma irregularidade, nós vamos a fundo. A ferida vai doer”. Já na última sessão ordinária, do dia 6 de outubro, Manoelito voltou a falar sobre o tema na tribuna da Câmara.

Para o parlamentar, há fortes indícios de irregularidades na obra, como o piso e luminárias que teriam sido pagas, mas que não existem. Segundo ele, a comissão contou com o auxílio do vereador Luiz Marcelino dos Santos Pallone (PSB) e do presidente da Câmara Dimas Tadeu Lima (PT), que também visitaram a escola. Ainda de acordo com Gomes, o relatório pedirá a instauração de uma Comissão Especial de Inquérito e será encaminhado ao Ministério Público Estadual.

Em meio à sua explanação, o parlamentar não permitiu aparte ao vereador Marcelo Antonio Lollato (PMDB), que pretendia comentar o assunto. Ainda na tribuna, Gomes afirmou que é importante que a população participe da próxima sessão ordinária, a partir das 20h da próxima segunda-feira (20), para, segundo ele, ver qual vereador vai ser contrário à abertura da CEI. “Eu peço com clemência, eu conclamo a população que participe da sessão do dia 20 de outubro”, finalizou.

Nenhum comentário: