terça-feira, 16 de junho de 2015

Relatório final pede arquivamento de CEI em Ribeirão Bonito

Segundo comissão, irregularidades em obra não ficaram comprovadas 

Marcel Rofeal, de Ribeirão Bonito 

Foto: Arquivo/BMR
A última sessão ordinária da Câmara de Ribeirão Bonito antes do recesso parlamentar foi marcada por muita discussão na noite desta segunda-feira (15). Membros da Comissão Especial de Inquérito (CEI) instaurada para apurar denúncias de irregularidades na construção de uma escola no Jardim Centenário concluíram as investigações, mas decidiram arquivar o processo por falta de provas. Pedro Maia Almeida (PSDB), membro da CEI, foi contrário.

O relatório final do processo foi encaminhado à Presidência da Casa no último dia 1° de junho. De acordo com o documento, assinado pelo relator José Sebastião Baldan (PMDB), as investigações não encontraram provas de má-fé na gestão do projeto e de irregularidades no processo de construção da Escola Municipal “Prefeito Rubens Gayoso Júnior”, iniciada no mandato do ex-prefeito Paulo Antonio Gobato Veiga (PPS) e que segue na gestão de Wilson Forte Junior (PMDB).

Para o relator e para o presidente da CEI, Manoelito da Silva Gomes (DEM), não há irregularidades que comprometam a administração atual e anterior. O relatório ressalta que a empresa responsável pelas obras ainda não concluiu os trabalhos, o que deve ocorrer em até dois meses, que ainda seria responsável pela mesma por até cinco anos após a entrega ao Município, o que ainda não aconteceu. Membro da CEI, o vereador Pedro Maia Almeida não concordou com o relatório.

Discussão – Os vereadores Dimas Tadeu Lima (PT) e Joseilton de Jesus (PSDB) também não foram favoráveis ao relatório final da CEI, que dispensa apreciação em plenário. Para eles, há fortes indícios de irregularidades que a comissão não considerou e que poderiam motivar a abertura de uma Comissão Processante (CP). Para o presidente da Câmara, Marcelo Antonio Lollato (PMDB), o relatório está claro e toda a documentação obtida está disponível aos demais vereadores.

Nenhum comentário: