quinta-feira, 23 de junho de 2016

Eleições 2016 | A dança das cadeiras na Câmara Municipal

PTB conquista duas cadeiras; PT, PSD e PSB perderam seus assentos 

Marcel Rofeal, de Ribeirão Bonito 

Fotos: Reprodução e Arquivo/BMR
Faltando 102 dias para o primeiro turno do pleito que escolherá os novos prefeito e vice-prefeito, além dos vereadores para o mandato de 2017 a 2020, o Blog Marcel Rofeal inicia a cobertura das Eleições 2016 em Ribeirão Bonito. Periodicamente, traremos as mais novas informações sobre os movimentos dos possíveis candidatos aos Executivo e Legislativo do município. A primeira reportagem apresenta as primeiras movimentações com a dança das cadeiras na Câmara.

Dos nove parlamentares, apenas quatro continuam fiéis às legendas em que foram eleitos. São eles José Sebastião Baldan e Marcelo Antonio Lollato, que seguem no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), Joseilton de Jesus e Regivaldo Rodrigues da Silva, que permanecem no Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Os outros cinco vereadores aproveitaram a janela de fevereiro a março para mudarem de partido sem perder o mandato.

Na Casa, o Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido Social Democrático (PSD) e o Partido Socialista Brasileiro (PSB) perderam as únicas cadeiras que mantinham no plenário, que passou a contar com duas cadeiras do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e uma do Solidariedade (SD). O bloco do PSDB manteve suas três cadeiras na Câmara, junto às duas mantidas pelo PMDB na Mesa Diretora, e uma do Democratas (DEM). As composições no PSDB e no DEM mudaram.

O PSDB perdeu Pedro Maia Almeida, que migrou para o SD, mas ganha Renata Mesquita Magalhães que volta após cinco anos no PSD. Já o DEM, que perdeu o vice-presidente da Câmara Manoelito da Silva Gomes, recebeu o ex-presidente da Casa Dimas Tadeu Lima, que deixa o PT após nove anos. Gomes agora está filiado ao PTB, que ainda recebeu Luiz Marcelino dos Santos Pallone, que deixou o PSB após nove anos. Mas nem todos eles pretendem concorrer à reeleição.

Em tribuna, o primeiro a se manifestar sobre as eleições de outubro foi Dimas Tadeu Lima (DEM), que anunciou, em junho do ano passado, não ser mais candidato por estar, segundo ele, envergonhado e cansado da política. O presidente Marcelo Antonio Lollato (PMDB) também garantiu não concorrer mais ao Legislativo. Luiz Marcelino dos Santos Pallone e Manoelito da Silva Gomes (PTB) disseram que não iriam disputar a reeleição, mas demonstraram interesse em concorrer.

Já ao Executivo, há muita especulação sobre os possíveis candidatos à sucessão do prefeito Wilson Forte Júnior, que permanece filiado ao PMDB, mas não demonstra interesse em disputar a reeleição, inclusive entre membros do Legislativo. O vice-prefeito Antonio Angelo Fabri, também do PMDB e um dos caciques do partido na cidade, deve deixar a vida pública ao término do mandato, pois não concorrerá em outubro, mas sua atuação deve se concentrar nos bastidores.

Nenhum comentário: