sexta-feira, 14 de abril de 2017

Prefeito Chiquinho é convocado pelo Ministério do Trabalho

Sindicato dos servidores aponta que Campaner desrespeitou servidores

Marcel Rofeal, da Redação

Foto: Leo Passareli/BMR
O Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) acionou o prefeito de Ribeirão Bonito, Francisco José Campaner (PSDB), e outros seis prefeitos da região para negociar, entre outras pautas, o reajuste salarial ao funcionalismo público. Baseado em um estudo realizado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), o Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região (Sismar) foi quem encaminhou o caso à Gerência Regional do Trabalho de Araraquara.

De acordo com o Sismar, Chiquinho não respeitou o processo de negociação em andamento e enviou à Câmara o projeto que prevê apenas a reposição da inflação ao salário dos servidores, um reajuste de 4,69%. A matéria foi aprovada pelo Legislativo em sessão extraordinária realizada no último dia 29. Em reunião com o prefeito no último dia 5, sindicalistas ouviram de Campaner que a Prefeitura não teria recursos financeiros para atender às reivindicações do funcionalismo público.

Ainda de acordo com o Sindicato, um estudo realizado em parceria com a Unesp aponta que Ribeirão Bonito comportaria um reajuste de até 16% no salário e no vale-alimentação sem comprometimento perante a Lei de Responsabilidade Fiscal. Segundo o Sismar, o estudo considerou a evolução da Folha de Pagamento e as finanças do Município nos últimos seis anos e tem por base os dados oficiais do Tribunal de Contas, Tesouro Nacional e Portal da Transparência.

Em sua página na internet, o Sismar aponta que tem promovido assembleias com os servidores desde o início do ano para discutir o assunto e que encaminhou as reivindicações ao Executivo, mas a única resposta que teria recebido para todos os pedidos seria superficial, sem números e prazos, o que não foi aceito pela categoria. Pedidos como recuperação de perdas salariais e mudanças no prazo para a entrega de atestados médicos sequer teriam sido respondidos.

Nenhum comentário: